Ronaldinho Gaúcho acabou de vez com o mistério e resolver dar uma entrevista com a “ABC Color” sobre todos os problemas que enfrentou no Paraguai a respeito de sua prisão.

O craque revela que ficou surpreso ao lhe informarem que seus documentos não eram legais assim que chegou ao país, mas que foi recebido com muito carinho pelos paraguaios.

Ronaldinho Gaúcho fala sobre o seu tempo na prisão

– Eu sinto o carinho, amor e respeito de todos os paraguaios desde o primeiro dia que cheguei no país. Todas as pessoas com quem tive na Agrupação (centro de segurança da Polícia Nacional) me receberam com gentileza, jogando futebol, dando autógrafos, fotos. Faz parte da minha vida, não teria motivos para parar de fazê-lo, ainda mais com pessoas que viviam momentos difíceis, como eu.

“Tudo o que fazemos é feito sob contratos gerenciados por meu irmão, que é meu empresário. Neste caso, viemos participar do lançamento de um cassino on-line, conforme especificado no contrato, e do lançamento do livro Craque da Vida, que foi organizado com a empresa no Brasil que tem o direito de usar o livro no Paraguai. Ficamos surpresos ao saber que os documentos não eram legais”.

“Desde então, nossa intenção tem sido colaborar com a justiça para esclarecer o fato, como temos feito desde o início. Desde esse momento até hoje, explicamos tudo e facilitamos tudo o que a justiça nos pedia”.

No momento, Ronaldinho Gaúcho está no aguardo de poder voltar ao Brasi, visto que saiu da prisão para ficar detido em domicílio com seu irmão em Assis.