Aconteceu nesta quarta-feira dia (06) em uma sessão do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) a aprovação da fusão entre a Disney e a Fox no Brasil.

Para que a negociação continue o canal precisa ser mantido no ar pela multinacional por até três anos ou até a conclusão dos contratos de direito de transmissão.

A Disney ainda precisa se comprometer a manter a Fox Sports no ar até o dia 1º de janeiro de 2022 exigindo a transmissão da Copa da Libertadores no canal.

Além disso, o Cade aprovou que outros direitos de transmissão sejam exibidos também em emissoras irmãs.

“O que exatamente aconteceu? Pois, nós chegamos algumas conclusões. O negócio Fox Sports está em prejuízo ao longo do ano de 2019. Os canais Fox eram negociados em pacote para a TV por assinatura, ou seja, nenhum canal tinha um valor fixo. Pedi recibos contábeis dos canais, e observa-se com clareza que o negócio desinvestido tinha receitas boas em 2015. Em 2016, ele passa a ter considerável prejuízo por conta dos direitos de transmissão mais caros de futebol”, afirmou o conselheiro Braido.